O Novas Frequências é um festival moldado de acordo com as características físicas e conceituais do centro cultural Oi Futuro Ipanema. Em outras palavras, sua curadoria busca diversidade e o uso criativo de ferramentas tecnológicas em meio ao que poderíamos batizar de fine arts da música contemporânea.
Estamos falando de artistas com promissoras carreiras dentro da vanguarda, que lançam seus trabalhos por selos fonográficos de respaldo internacional, e que tem suas carreiras resenhadas pelas bíblias da nova música, publicações tais como Pitchfork, The Wire, Fact, XLR8R, Resident Advisor e The Fader. Além de quatro artistas internacionais, o Festival Novas Frequências conta também com duas promissoras atrações nacionais que estão iniciando a despontar no cenário.

O evento acontece sempre em dezembro, e a escolha desse mês é intencional. Afinal de contas, somente no final do ano é que se consegue analisar de fato o que de melhor aconteceu.
Segundo o curador Chico Dub, “a primeira edição do Festival prioriza artistas que através das suas sonoridades experimentais constroem paisagens sonoras que evocam, na mesma medida, climas etéreos, sombrios, transcendentais e assustadores”.

Com realização da empresa Cardápio de Ideias Comunicação e Eventos, o formato da primeira edição do projeto apresentou 6 artistas – todos com passagem inédita pelo Rio – para uma programação que se estendeu de 07 a 11 de dezembro de 2011 no Oi Futuro Ipanema.
Os nomes escolhidos foram: Sun Araw (EUA), Murcof (México), Andy Stott (Inglaterra), Com Truise (EUA), Pazes (Brasil) e Psilosamples (Brasil).

O vídeo de apresentação do festival, produzido em 2011, conta com entrevista de Chico Dub, idealizador do projeto: