Em “Ignorância”, o grupo Quatroloscinco explora o sentido dessa palavra e o fato dela expressar algo corriqueiro na sociedade contemporânea. A peça levou o tema pois o grupo percebeu a onda de intolerância que rege os dias atuais. No texto, um diálogo com o mundo de hoje, permeado por interlocuções sociais, políticas e artísticas que, por certo, denunciam o quanto nossa humanidade está escapando de nossas mãos enquanto assistimos impassíveis”, afirma o diretor. Uma obra que convida o público a refletir sobre temas como instransigência e a sociologia do julgamento.

Ao todo, são 6 cenas isoladas com uma única semelhança: a intolerância. Um discurso que foge de verdades proclamadas pelo senso comum, abordando o estado da ignorância em diversas cores e espectros. A criação do espetáculo surgiu através do desejo de um mergulho intenso e sucinto em um tema concreto e cotidiano. As primeiras ideias se originaram sobre os conceitos de fronteira e limite, quando começou a se agravar a crise de refugiados na Europa. Foi então que se chegou à palavra-chave ignorância, que passou a guiar o trabalho.

A equipe envolvida na montagem com o grupo pela primeira vez estão, o iluminador Rodrigo Marçal, a bailarina Rosa Antuña, a pesquisadora vocal Ana Hadad, a figurinista Lira Ribas e o músico Barulhista. O grupo repete as parcerias com o cenógrafo Ed Andrade, agora com o reforço de Cristiano Cezarino, e com os designers Filipe Costa e João Emediato.