BELO HORIZONTE SERÁ MAIS UMA VEZ A CAPITAL MUNDIAL DO JAZZ E DA MÚSICA INSTRUMENTAL COM A 15ª EDIÇÃO DO SAVASSI FESTIVAL, QUE NESTE ANO ACONTECE NO RIO DE JANEIRO PELA TERCEIRA VEZ

 

Capital mineira recebe intensa programação do festival entre os dias 18 e 27 de agosto, ocupando diferentes espaços da cidade, com shows, lançamentos de CDs, premiações, ensaios abertos e atividades para todos os gostos e idades. Entre os destaques, uma homenagem ao maestro Tom Jobim com a cantora Rosa Passos.

 

2017 é um ano importante para o Savassi Festival, que chega à sua 15ª edição na capital mineira, entre os dias 18 e 27 de agosto, se consolidando como uma das principais plataformas dedicadas ao jazz e à música instrumental no estado e uma das mais importantes do país. Com fôlego sempre renovado, o Savassi Festival apresenta uma programação rica e intensa neste ano, ocupando diferentes espaços da capital mineira – teatros, cafés, praça, bares, centro cultural e, claro, a rua – com uma série de shows gratuitos e a preços populares, mantendo sua tradição nestes quinze anos de atividades. Durante esse tempo, o Savassi Festival foi e continua sendo responsável por incentivar a produção musical de uma forma muito particular, participando ativamente do processo artístico junto aos músicos, contribuindo para abrir oportunidades não só para quem participa como também quem freqüenta a programação do festival.

 

Integra a programação do Savassi Festival, seis shows e dois workshops que acontecerão no Rio de Janeiro, a terceira edição do festival na cidade. Na capital carioca, o festival será realizado nos dias 23 e 24 de agosto e a programação inclui workshops na Universidade Federal do Rio de Janeiro e na Uni-Rio e apresentações musicais na Sala Cecília Meirelles e no Bar Semente, espaços inéditos na programação do Savassi Festival.

 

 

A 15ª edição do Savassi Festival Belo Horizonte conta com uma programação extensa e musicalmente instigante, com a presença dos israelenses Oded Tzur, Shai Maestro e do jovem Guy Mintus, além do português Eduardo Cardinho. O festival também conta com projetos inéditos que amplificam o cânone estético e criativo do festival, entre eles o Palco Choro e Mulheres Criando – Música Instrumental.

 

Os 90 anos do grande maestro Tom Jobim, completados em janeiro deste ano, ganham homenagem especial nos palcos do festival com o show Rosa Passos canta Tom Jobim. Rosa Passos ficou conhecida no mundo todo sobretudo por suas grandes interpretações

 

de Tom Jobim, com sua métrica jazzística e a grande voz aveludada reconhecida por todos. Em dezembro, na ocasião de sua última turnê nos Estados Unidos, a cantora se apresentou com o lendário pianista americano Kenny Barron cantando somente músicas do maestro brasileiro. Aproveitando a comemoração dos 90 anos daquele que é considerado o maior compositor brasileiro, Rosa propõe um show com o repertório de canções assinadas por Jobim.

 

A programação também inclui uma noite especial em que o acordeonista Célio Balona receberá o Prêmio Mastermaq Jazz de Minas. A já tradicional premiação do Savassi Festival busca homenagear músicos mineiros que contribuíram com sua trajetória para a música instrumental produzida no estado e, neste ano, acontece no Teatro Sesiminas, no primeiro dia de programação do Savassi Festival. Nesta noite especial apresentam-se juntamente com Célio Balona, a Orquestra de Câmara SESIMINAS e o grupo Projeto Brasil.

 

Realizado em diferentes espaços da capital mineira, inúmeros teatros e centros culturais da cidade serão ocupados com a programação: Centro Cultural Banco do Brasil, Teatro Sesiminas, Teatro Bradesco, Sesc Palladium, Cine Theatro Brasil Vallourec e o Anfiteatro do Pátio Savassi. Seguindo a tradição de apresentações mais intimistas, uma das marcas do festival, as atrações também serão levadas para cafés e bares como as duas unidades do Café Com Letras – Savassi e Praça da Liberdade –, o Café 104 e o Mind The Coffee. A rua, mais uma vez, também será ocupada pelo jazz e também pela música instrumental, com o Jazzinho na praça Floriano Peixoto e os palcos AeC e o Palco Oi, que retornam à rua Antônio de Albuquerque, em frente ao Café Com Letras Savassi, no final de semana de encerramento do festival.

 

NOVIDADES

 

Nesta edição, o Savassi Festival amplia seu programa de composições, reconfigurando-o, e apresenta o Projeto Música Nova. Em 2017, 4 artistas foram convidados para criarem obras comissionadas que terão suas respectivas estréias nos palcos do festival, São eles: Juliana Perdigão, Fred Selva, Luisa Mitre e Rafael Martini. “O Projeto  Música Nova  é um espaço para a criação e a experimentação. E é nesse ponto que vejo a importância do papel do festival, atuando no auxílio e trabalho ao lado de músicos e compositores. Os trabalhos comissionados pelo Savassi Festival ganham o mundo a partir de suas respectivas estreias”, destaca Bruno Golgher.

 

As obras dos quatro compositores foram especialmente criadas para o Savassi Festival. Juliana Perdigão, cantora e compositora mineira radicada em São Paulo, apresentará a peça “Savassi”, a qual assina a direção e criação.  Neste trabalho, ela presta uma homenagem aos lugares e personagens da região onde nasceu o festival. Fred Selva, vibrafonista e compositor belo-horizontino, que atualmente vive na cidade de Buenos Aires, apresenta obra para 3 vibrafones e banda, com participação especial do português Eduardo Cardinho. A pianista mineira Luisa Mitre faz seu show de estreia

 

como compositora, apresentando um repertório inédito, no Projeto Música Nova. Já Rafael Martini, compositor, arranjador, pianista e cantor, apresenta um show inédito, que conta com a estreia de sua peça comissionada pelo festival e de outras músicas, próprias e de outros compositores.

 

Outra ação recente, mas que começou a ser gestada há dois anos é o palco Mulheres Criando Música Instrumental, que surgiu a partir da parceria com o Coletivo Mulheres Criando, que possui um sólido trabalho neste campo. Este palco recebe a compositora e violonista Kalu Coelho e a pianista Eloá Gonçalves em apresentação com seu trio. O palco Mulheres Criando Música Instrumental busca mostrar e fortalecer a presença das mulheres no território da composição e música instrumental.

 

O Novo Jazz de Israel é outro destaque da programação. Oded Tzur Quartet e Shai Maestro Trio são os representantes do país convidados para se apresentarem em terras mineiras. Oded Tzur é saxofonista e compositor israelense residente em Nova Iorque. Seu trabalho explora as relações entre as tradições clássicas e contemporâneas da música, com especial influência da música indiana. Ele apresenta seu trabalho em quarteto para mostrar como sua linguagem única de improvisação leva o ouvinte à uma jornada surpreendente que evoca o contraste entre o silêncio e o som. Já Shai Maestro iniciou o projeto com seu trio, em 2011 e, ao lado de seus amigos, Jorge Roeder e Obed Calvaire, o músico conseguiu desenvolver uma forte identidade para o grupo que já é amplamente reconhecido no cenário do jazz mundial.

 

Outro músico israelense que se apresenta no festival é o pianista e compositor Guy Mintus Profundamente enraizado no jazz e suas tradições clássicas, Guy é também um estudioso da cultura mediterrânea. Com todo esse conhecimento combinado, ele cria uma verdadeira e orgânica sinestesia entre culturas musicais em performances de tirar o fôlego. Aos 25, o músico teve o álbum “A Home in Between” escolhido pela revista Downbeat como escolha do editor em 2017. Além disso, Guy tem sido comissionado para compor para American Composers Orchestra, Jerusalem Symphony Orchestra, the Imani Chamber Winds Festival, entre outros.

 

O vibrafonista português Eduardo Cardinho é outro destaque da programação. Depois do seu primeiro álbum, “Black Hole”, considerado como um dos melhores de 2016 pela Jazz.pt e Jazz Logical, o artista foi convidado a apresentar sua música autoral em quarteto, ao lado de três músicos brasileiros. A junção promete ser uma bela experiência multicultural e musical.

 

NOVOS TALENTOS

 

O tradicional concurso para bandas de jazz e música instrumental Novos Talentos do Jazz foi realizado no início deste ano e tem um novo vencedor: Vitor Arantes Quarteto. O grupo formado por jovens com idades entre 22 e 23 anos – o edital previa que apenas músicos com idade igual ou inferior a 30 anos poderiam participar do certame – é de São

 

Paulo e tem inspirações na música instrumental brasileira e no jazz norte-americano. Como premiação, o grupo irá se apresentar nesta edição do Savassi Festival. Além do festival mineiro, o Vitor Arantes Quarteto ainda subirá nos palcos do POA Jazz Festival e do Sampa Jazz Fest, por meio de uma parceria entre estes três importantes eventos do segmento, potencializando a premiação do concurso.

 

O festival também irá promover o Escola do Jazz (antigo Jazz Sub-17). A iniciativa cria a oportunidade para estudantes de escolas de música de Belo Horizonte se apresentarem na programação do festival. A proposta é reunir no anfiteatro do Pátio Savassi estudantes de música de todas as idades.  Nesta edição, participam os alunos das escolas AvantGarde e E.M.P.

 

PARA CRIANÇAS

 

Os pequenos, mais uma vez, ganham uma programação especialmente dedicada a eles, no Jazzinho – Jazz para Crianças, que ocupa a praça Floriano Peixoto. Sobem ao palco os músicos do Quartabê, uma das bandas mais inventivas e originais da cena independente brasileira dos últimos anos, que apresenta o concerto didático “Moacir de todos os Santos: Escuta, história, reflexão”, onde homenageiam o compositor Moacir Santos. Completando a programação, sobe ao palco o músico Cliff Korman Ensemble, com o show “Beatles Para os Pequenos”. Cliff Korman tem desenvolvido diversos trabalhos para o Savassi Festival nos últimos anos. Para esta edição, ele desenvolveu um espetáculo especial para crianças inspirado nas músicas do grupo The Beatles. A ideia do projeto surgiu enquanto Cliff acompanhava o progresso musical de seus filhos, que se apresentam no violão, tocando músicas clássicas do grupo inglês.

 

LANÇAMENTOS

 

Uma série de shows de lançamentos de discos integram a programação do Savassi Festival 2017.  O músico Alexandre Andrés lança seu trabalho Macieiras, com as participações especiais de Antônio Loureiro, Joana Queiroz e Ricardo Herz. Em Macieiras, Alexandre apresenta oito faixas inéditas inspiradas e criadas na fazenda de mesmo nome, local onde cresceu e passou maior tempo de sua vida. Já o músico Deangelo Silva, vencedor do Prêmio BDMG instrumental 2017, lança seu primeiro álbum, Down the River, um trabalho desenvolvido por meio de sua pesquisa e produção autoral em relação à música popular brasileira, jazz e música latino americana, mas sem deixar de contar com a sólida base de música erudita.

 

O veterano Serginho Silva, referência em percussão, se destaca por seu trabalho há mais de três décadas transitando por vários gêneros musicais da música popular brasileira. Além de acumular parcerias de sucesso com Milton Milton Nascimento, Beto Guedes, Lô Borges, Elza Soares e Renato Teixeira, já mostrou seu talento em países europeus como França, Alemanha, Itália, Espanha, Lituânia e Bélgica. Neste ano, Serginho Silva lança durante a programação do Savassi Festival seu primeiro álbum, intitulado “De verdade”.
O percussionista mineiro Túlio Araújo sobe ao palco com o Projeto Dobradura para o lançamento do disco Monduland. O show contará com a participação especial do músico israelense Guy Mintus. Já os músicos do Sem receita fazem show de lançamento de seu primeiro trabalho, que leva o nome do grupo. O show contará com a participação especial do músico Antônio Loureiro, que assina a produção do disco. Em 2014, o Sem receita foi o vencedor do concurso Novos Talentos do Jazz, promovido pelo Savassi Festival.

 

Para 2018, o Savassi Festival ainda prepara duas edições internacionais: volta à Nova York para a sua 4a edição nos EUA, e também se prepara para a sua estreia em Lisboa (Portugal).