O Festival Internacional Intercâmbio de Linguagens chegou a sua 14a edição proporcionando diferentes experiências culturais em diversos pontos da cidade. Investindo em uma programação colaborativa entre novos formatos, públicos e linguagens, esta é a originalidade do FIL: trazer novas pessoas para a arte, de todas as idades e estilos.

O FIL levou para o Rio artistas da França, Bélgica, Peru, Bósnia, Finlândia, Dinamarca, Canadá e, claro, do Brasil. Durante os 10 dias de evento, o Oi Futuro recebeu estreias teatrais, lançamentos de livros, exposições, performances, rodas de conversa com grandes artistas da cena de renome internacional  para um passeio inesquecível por um mundo inusitado. O Festival é plural, sem fronteiras.

-  O FIL nasceu do desejo de misturar mundos, públicos, linguagens cênicas, visuais e tais. Por isso convida as mais diversas, curiosas e raras criações artísticas para virem proporcionar experiências tão maravilhosas quanto inesquecíveis para público de idades diferentes. – afirma a diretora do Festival, a premiada escritora e multi-talentosa Karen Acioly.

Vejam uma prévia do que aconteceu no FIL 2016:

Na programação, o divertido espetáculo francês “Concerto Para Dois Clowns”, inédito no Brasil. Nas artes visuais, o fotógrafo Odir Almeida mostra a cidade do Rio de Janeiro vista a partir do mar em uma exposição com curadoria de Maria Arlete Mendes Gonçalves. Encerrando o primeiro final de semana do festival, o francês Thomas Pachoud conversará com o público sobre sua técnica e criação artística após a última apresentação do espetáculo “Shape of Light”.

Você pode conferir mais detalhes no site oficial do FIL e ver os registros do que rolou nesta edição na galeria abaixo: