Com textos inéditos de Jô Bilac, Marcia Zanelatto e Pedro Kosovski, peça FATAL leva Debora Lamm e Paulo Verlings em montagem sobre três histórias de amor inspiradas em mitos e lendas.

FATAL é uma trilogia sobre a paixão criada a partir de mitos e lendas. Com concepção e direção de Guilherme Leme Garcia e colaboração artística de Vera Holtz, os três textos foram criados inspirados nas histórias de Kama e Rati, Tristão e Isolda e Eros e Psiquê.

Em FATAL, Guilherme segue o seu projeto de revelar novos olhares a partir de um mesmo tema. É uma continuação do trabalho de pesquisa que ele vem desenvolvendo desde as montagens de RockAntígona (2010) e Trágica.3 (2014) – ambas criadas a partir de tragédias gregas. “Sinto muita vontade de falar sobre a paixão. Seguindo a trilha do espetáculo que fiz sobre as mulheres trágicas, decidi que era o momento de trazer novos olhares sobre o amor. E assim surgiu a ideia da trilogia romântica”.

Filho de pai indiano, Jô Bilac mergulhou na própria ancestralidade e inspirou-se na história de Kama, o deus do amor hindu, e Rati, a deusa da paixão e dos prazeres eróticos, para escrever Kama-Sutra Secreto. Márcia Zanelatto apresenta Tristão e Isolda – PeepShow, uma adaptação da lenda de origem celta Tristão e Isolda, em que o que está sendo exibido é o sentimento, a vida interior dos amantes, em vez do corpo. Em Monstros, Pedro Kosovski teve como ponto de partida os encontros às escuras de Eros e Psiquê, num dark room mitológico. Em vez de um espaço tradicionalmente reservado para atividades sexuais, aqui se destina aos percalços da paixão.

Os atores Debora Lamm, da Cia OmondÉ, e Paulo Verlings, da Cia Teatro Independente, já trabalharam juntos em outras produções, como El Pânico e Maravilhoso, e agora entram em cena para falar nas vozes destes heróis míticos. A instalação cênica ficou a cargo de Aurora dos Campos (cenografia) e Tomás Ribas (luz). Os figurinos são de Marcelo Olinto e a trilha sonora é de Marcello H.